Obrigatoriedade de emissão de NFC-e para nova categoria de varejistas no Distrito Federal

Obrigatoriedade de emissão de NFC-e para nova categoria de varejistas no Distrito Federal

A partir de 1º de janeiro de 2017 entra na obrigatoriedade de emissão da Nota Fiscal de Consumidor eletrônica (NFC-e) mais uma categoria de contribuintes do comércio no Distrito Federal. Estarão obrigados a emitir o documento eletrônico os contribuintes com receita bruta superior a R$ 360 mil. As primeiras obrigatoriedades de NFC-e, no Distrito Federal, começaram em janeiro de 2016 e seguiram com a inclusão das demais categorias. O cronograma termina em 1º e julho de 2017, com a inclusão dos demais optantes pelo Simples Nacional. A consultora de negócios do sistema myrp, Karine Gresser, ressalta a necessidade dos varejistas escolherem, o quanto antes, uma opção de sistema para a emissão do documento fiscal do varejo, para cumprir a legislação, não ter problemas com a SEFAZ e com a continuidade das vendas. Para garantir que os comerciantes se adaptem no prazo, uma opção rápida e fácil é o sistema de gestão myrp, que pode ser colocado em operação na loja em poucos minutos. Além das funcionalidades básicas como a emissão de NFC-e e NF-e, envio de NFC-e por e-mail e geração de backup automático, o sistema de gestão myrp inclui controles mais abrangentes como a gestão do estoque do varejista e gestão financeira, com fluxo de caixa e registros das contas a pagar e receber.   Sobre o myrp: O myrp é um sistema de gestão empresarial que faz a emissão de todos os documentos fiscais eletrônicos, como NFC-e, NF-e e CT-e, e possibilita o gerenciamento de uma pequena empresa, com controle financeiro, de estoque e vendas. O sistema funciona no modelo de armazenamento na nuvem e pode ser...
As vantagens de ter uma parceria com uma empresa desenvolvedora de software

As vantagens de ter uma parceria com uma empresa desenvolvedora de software

Fazer modificações no sistema próprio ou até mesmo criar um novo para atender demandas específicas do mercado nem sempre é a melhor alternativa para as empresas de TI. O custo para o desenvolvimento e suporte é alto, e por isso, as parcerias de integração com uma empresa especialista podem ser a opção ideal para trazer vantagens para todos os envolvidos no negócio. O diretor técnico da Inventti, Tibério César Valcanaia, calcula que para desenvolver, manter e dar suporte para um sistema de pequeno porte, por exemplo, é necessária uma equipe de sete colaboradores, o que significa um gasto mínimo mensal de R$ 36 mil. “Também é preciso colocar na conta ainda outros custos de consultoria, implantação de testes e demais procedimentos necessários para a operação”, complementa. Com uma parceria, além do custo mensal reduzido, há ainda a vantagem de contar com uma estrutura maior e especializada no segmento em foco. Assim, o desenvolvedor de software fica focado em sua área chave. Por exemplo, se desenvolve sistema para restaurante, vai focar nas questões necessárias para tornar o restaurante mais produtivo e gerar resultados. Valcanaia afirma que muitas empresas de sistemas não se dão conta, mas a maior parte dos programadores tem trabalhado para atender as mudanças de legislação e atualizações das regras tributárias.  “Assim, perdem o foco em seus clientes no sentido de atender as principais funcionalidades necessárias”, analisa. A Inventti já tem exemplos de parcerias de sucesso na integração de sistemas. A empresa catarinense integrou sua solução de Nota Fiscal de Consumidor eletrônica (NFC-e) e Sistema Autenticador e Transmissor do Cupom Fiscal eletrônico (S@T CF-e) com dezenas de empresas...
Vinhos para refrescar e aproveitar o verão

Vinhos para refrescar e aproveitar o verão

O calor chegou e com ele, é possível se refrescar com boas opções de vinhos para tornar os momentos ao lado de amigos e familiares, inesquecíveis. O frescor é uma das características marcantes e mais procuradas para esta época do ano. Para auxiliar, o sommelier da Enoteca Decanter Sidney Lucas, destaca algumas opções para brindar na estação mais quente do ano. A primeira opção indicada é o espumante François Labet Crémant de Bourgogne Rosé Brut, da vinícola Domaine Pierre Labet, que traz o leve sabor de frutas vermelhas. A bebida é uma boa opção para acompanhar pratos como Trilha grelhada e servida ao molho mediterrâneo, Paella e Tartar de atum com ervas aromáticas frescas. Outra sugestão do sommelier é o vinho argentino Luigi Bosca Chardonay 2015, que apresenta um sutil toque de baunilha. A bebida é uma ótima opção para harmonizar com peixes, frutos do mar e crustáceos em preparações mais cremosas e gratinadas, e ainda, com gyosa com carne de porco e queijos de massa cozida. Decanter Uma das maiores e mais destacadas importadoras de vinhos do Brasil, a Decanter foi eleita a Importadora do Ano, na edição anual de vinhos da revista Gula. Fundada em Blumenau, em 1997, conta com mais de 50 distribuidores por todo o país, além da rede de Enotecas Decanter. Seriedade, respeito ao cliente e uma política de preços convidativos têm sido alguns dos suportes desse crescimento.  No entanto, é a esmerada seleção de vinhos que dá corpo à empresa. Mais informações: Presse Comunicação Empresarial – Assessoria de Imprensa Blumenau – Santa Catarina (47) 3041-2990 ou 3035-5482 |...
Duas categorias de varejistas de SP entram na obrigatoriedade de  S@T a partir de 1º de janeiro

Duas categorias de varejistas de SP entram na obrigatoriedade de S@T a partir de 1º de janeiro

A partir de 1º de janeiro de 2017 entra na obrigatoriedade de emissão do Cupom Fiscal Eletrônico do Sistema Autenticador e Transmissor (CF-e SAT) mais uma categoria de contribuintes do comércio no estado de São Paulo. Estarão obrigados a emitir o documento eletrônico em substituição à Nota Fiscal de venda a consumidor (modelo 2) para os contribuintes que faturaram R$ 80 mil ou mais em 2016; e também é o prazo final para os postos de combustível cessarem todos os Emissores de Cupom Fiscal (ECF). As primeiras obrigatoriedades de CF-e S@T, em São Paulo, começaram em julho de 2015, e seguiram com a inclusão de outras categorias de estabelecimentos comerciais. O cronograma termina em 1º de janeiro de 2018, com a obrigatoriedade para os contribuintes que faturaram R$ 60 mil ou mais em 2017. A consultora de negócios do sistema myrp, Karine Gresser, ressalta a necessidade dos varejistas escolherem, o quanto antes, uma opção de sistema para a emissão do documento fiscal do varejo, para cumprir a legislação, não ter problemas com a SEFAZ e com a continuidade das vendas. Para garantir que os comerciantes se adaptem no prazo, uma opção rápida e fácil é o sistema de gestão myrp, que pode ser colocado em operação na loja em poucos minutos. Além das funcionalidades básicas como a emissão de S@T, NF-e e geração de backup automático, o sistema de gestão myrp inclui controles mais abrangentes como a gestão do estoque do varejista e gestão financeira, com fluxo de caixa e registros das contas a pagar e receber. Sobre o myrp: O myrp é um sistema de gestão empresarial que...
Obrigatoriedade de emissão de NFC-e para nova categoria de varejistas no Rio Grande do Sul

Obrigatoriedade de emissão de NFC-e para nova categoria de varejistas no Rio Grande do Sul

A partir de 1º de janeiro de 2017 entra na obrigatoriedade de emissão da Nota Fiscal de Consumidor eletrônica (NFC-e) mais uma categoria de contribuintes do comércio no Rio Grande do Sul. Estarão obrigados a emitir o documento eletrônico os contribuintes com faturamento superior a R$ 360 mil, considerando a soma do faturamento de todos os estabelecimentos do contribuinte, localizados no Estado do Rio Grande do Sul, no ano imediatamente anterior. As primeiras obrigatoriedades de NFC-e, no Rio Grande do Sul, começaram em setembro de 2014, com os contribuintes do comércio atacadista e varejista (Atacarejo) e seguiram com a inclusão de outras categorias de estabelecimentos comerciais em 2015 e este ano. A consultora de negócios do sistema myrp, Karine Gresser, ressalta a necessidade dos varejistas escolherem, o quanto antes, uma opção de sistema para a emissão do documento fiscal do varejo, para cumprir a legislação, não ter problemas com a SEFAZ e com a continuidade das vendas. Para garantir que os comerciantes se adaptem no prazo, uma opção rápida e fácil é o sistema de gestão myrp, que pode ser colocado em operação na loja em poucos minutos. Além das funcionalidades básicas como a emissão de NFC-e e NF-e, envio de NFC-e por e-mail e geração de backup automático, o sistema de gestão myrp inclui controles mais abrangentes como a gestão do estoque do varejista e gestão financeira, com fluxo de caixa e registros das contas a pagar e receber. Sobre o myrp: O myrp é um sistema de gestão empresarial que faz a emissão de todos os documentos fiscais eletrônicos, como NFC-e, NF-e e CT-e, e possibilita o...

Presse - Todos os Direitos Reservados

Desenvolvido por: