A Alemanha mais perto do paladar brasileiro

[photopress:FRANZ_KUNSTLER__Riesling_Goldkapsel_Hochheimer_Kirchenstuck_2007.jpg,resized,centered] O Vale do Itajaí está em festa! A Oktoberfest, a mais tradicional festa do chope no Brasil, já começou e enche das ruas de Blumenau com a cultura germânica. No mesmo ritmo, a Decanter passa a comercializar três novos produtores alemães: o Meyer-Näkel, do vale do Ahr, o Keller, da região de Rheinhessen, e o Horst Sauer, da Francônia. Antes, a importadora oferecia quatro opções. Agora, são sete produtores alemães, liderados pelo carro-chefe de vendas, Hermann Dönnhoff. A Decanter segue uma tendência nacional de valorização das bebidas produzidas na Alemanha. Entre 2008 e 2009, a importadora apresentou um crescimento de 76,5% na venda de vinhos alemães. Com os novos produtos, a ideia é aumentar ainda mais este número. “O mercado dos produtos de origem alemã está se transformando. As pessoas estão cada vez mais curiosas para entender as características desses vinhos”, afirma o presidente da Decanter, Adolar Hermann. Conheça os novos produtores alemães da Decanter – O Meyer-Näkel é produzido no vale Ahr, região especializada em grandes vinhos Pinot Noirs. Fruto da união das famílias Meyer e Näkel, a vinícula, com mais de 15 hectares, é pioneira em tintos secos na Alemanha. – Klaus-Peter Keller, com a produção do Keller, lidera o renascimento da região do Rheinhessen. A vinícula é reconhecida como fonte de alguns dos melhores Rieslings secos do mundo. – O Horst Sauer é fabricado em uma vinícula familiar, na Francônia. O vinho é elaborado para transmitir o terroir do vinhedo Lump em Eschendorf. A família é considerada a melhor produtora de brancos na região. – O Hermann Dönnhoff já fazia parte do portfólio da Decanter...

Para beber no inverno

[photopress:cassis_reduzida.jpg,full,centered] O inverno ainda não chegou ao fim e as bebidas que acompanham a estação mais fria do ano continuam em alta. Além dos vinhos, que já fazem parte do dia-a-dia, principalmente nessa época, bebidas quentes como Armagnac, Cognac, Grappa e licores têm ganhado mais espaço nas taças dos brasileiros. Facilmente confundidos, o Armagnac e o Cognac diferem em algumas características. Os dois são produzidos na França, provêm de regiões demarcadas, têm graduação alcoólica de 40% e usam a uva como ingrediente base para sua produção. Mas, a principal diferença entre eles é o processo de destilação: enquanto o Cognac passa por um processo de bi-destilação, o Armagnac é destilado uma única vez. Isso faz com que o Armagnac fique com um aspecto mais rústico, encorpado e complexo, enquanto o Cognac fica mais delicado, sutil e rico em aromas. A importadora Decanter trouxe ao Brasil duas experiências sensoriais extraordinárias em termos de Cognac e Armagnac. O Cognac francês Tesseron foi eleito o melhor destilado do mundo pela Wine Enthusiast, com exemplares de 15 anos de envelhecimento até mais de um século. Já o Armagnac Delord, também francês e premiado entre os melhores do mundo, é um dos mais complexos destilados da região de Bas Armagnac. Outra opção para esquentar as noites frias é uma boa Grappa, feita a partir da destilação de resíduos do bagaço da uva, semelhante à aguardente. A Grappa Segnana, importada pela Decanter, é uma das mais nobres da Itália e é perfeita para finalizar uma refeição. Com relação aos licores, a novidade é o Cassis de Bourgogne Briottet, conhecido como o melhor da França. Ele...

Cresce venda de vinhos alemães

A cultura e os produtos com qualidade germânica não são destaque apenas no Vale Europeu brasileiro. A venda de vinhos alemães na Decanter apresentou um crescimento de 76,5% entre 2008 e 2009. Para 2010 a importadora espera ainda aumentar em 35% as vendas em relação ao ano anterior. O crescimento reflete a qualidade dos produtos do vale do Mosel, do Rheingau, da região do Nahe e do Palatinado (Pfalz), continuação geográfica da Alsácia francesa. O Riesling produzido nestas regiões é o grande destaque dos produtores alemães. Na Decanter, encontram-se produtos das vinícolas Grans-Fassian, Franz Künstler, Hermann Dönnhoff e Eugen Müller. Ainda este ano, a importadora deve trazer com exclusividade para o Brasil mais três produtores alemães. “Observamos o renascimento do grande vinho alemão em mercados maduros de vinho no exterior e estamos a acreditar nesta tendência também no Brasil”, destaca o sommelier da Decanter, bicampeão brasileiro, Guilherme Corrêa....

Cerveja e chocolate prometem conquistar os brasileiros

Uma combinação inusitada com a bebida preferida dos brasileiros promete se destacar à mesa neste inverno: cerveja e chocolate. É o que apostam as catarinenses Bierland, cervejaria artesanal de Blumenau, e a Nugali Chocolates, de Pomerode. Para chegar à harmonização ideal foram realizadas algumas degustações, levando em conta que os sabores devem ser complementares para dar certo. O resultado perfeito, segundo o especialista em cervejas Paulo “Feijão”, da Cervejaria Bierland, foi obtido ao combinar a Bierland Bock e o chocolate ao leite da Nugali, composto por 45% de cacau. “Não é uma combinação fácil, mas ficou deliciosa”, garante Maitê Lang, diretora e chocolatier da Nugali. “A harmonização dá certo, pois a Bock, produzida a partir de cinco tipos diferentes de malte, tem como características no aroma e no sabor leve notas de torrefação, caramelo e chocolate, com um final residual agradavelmente adocicado”, explica Paulo. Outro fator que contribuiu para o sucesso da harmonização foi a semelhança entre as propostas das duas empresas. Além dos processos artesanais de produção, ambas trabalham com matéria prima tradicional, selecionada e rigoroso controle de qualidade. As duas empresas também atuam de forma a educar o consumidor sobre o consumo e as principais características de cada produto. Quem quiser já pode experimentar a combinação no bar da fábrica da cervejaria Bierland: ao comprar uma garrafa de Bierland Bock, o cliente ganha dois tabletes de chocolate ao leite Nugali. Paulo dá algumas dicas para a harmonização: – Leve o chocolate ao leite Nugali à boca e deixe-o derreter no palato. – Experimente a Bierland Bock enquanto ainda sentir o residual do chocolate. De acordo com o...

Para viver em um mundo novo

Este é o conceito que a Decanter traz para o Brasil com o vinho “Nuevo Mundo”, da vinícola De Martino. A sustentabilidade chegou aos mais nobres vinhedos e a Decanter traz com exclusividade para o Brasil o primeiro vinho a obter o certificado de carbono zero em todos os seus processos de produção, desde o nascimento até a chegada ao cliente. O “Nuevo Mundo” ou Mundo Novo, da vinícola De Martino, é elaborado a partir de uvas cultivadas de forma orgânica sustentável, no vale do Maipo, no Chile. “Estamos sempre em busca dos melhores produtos para o mercado nacional e a De Martino proporciona uma experiência excepcional em vinhos e, ainda, contribui para o meio ambiente”, destaca o presidente da Decanter, Adolar Léo Hermann. A colheita 2007 do “Nuevo Mundo” surpreende com características enológicas únicas e contempla uma linha Reserva (Cabernet-Carmenère, Cabernet-Malbec, Cabernet Sauvignon, Sauvignon Blanc) e Varietal (Cabernet, Carmenère, Sauvignon Blanc). Proveniente da primeira vinha do mundo a gerar bônus de carbono, “Nuevo Mundo” incorpora práticas sustentáveis no manejo do vinhedo, eficiência energética, redução do consumo de água em irrigação e produção, diminuição de emissões de CO2 geradas por compostagem própria e redução dos resíduos industriais através da planta de tratamento De Martino. A embalagem do “Nuevo Mundo” também recebeu atenção especial. As etiquetas são recicladas e têm baixo conteúdo de tinta. As garrafas “eco-friendly” provêm de um material 35% reciclado e por isso tem uma redução de peso de 9%. As caixas também são elaboradas em papel reciclado. Sobre a De Martino Fundada em 1934 por imigrantes italianos, está estabelecida em Isla Del Maipo, no Chile, com...

Decanter prepara um show de lançamentos para a Expovinis

A Decanter vai à ExpoVinis Brasil, que ocorre de 27 a 29 de abril em São Paulo, com um show de novidades. Em 2010, o foco da importadora está voltado principalmente para a Península Ibérica, de onde, além dos atuais 21 parceiros, chegam vinhos de mais oito novos produtores. A Decanter está agregando 115 novos rótulos à sua seleção. Além de Portugal e Espanha, os vinhos vêm de parceiros tradicionais e de outros 13 novos produtores da Itália, da França, Alemanha, Hungria e Nova Zelândia. Na ExpoVinis, o público poderá provar boa parte dessas novidades, que serão lançadas na feira, além de outros 300 rótulos do exclusivo portfólio Decanter. Da Espanha chegam os brancos intensos do renomado produtor José Pariente, da Rueda, cuja matéria-prima principal é a uva Verdejo. Chegam os tintos da Amaren, da Rioja, e da Bodegas Peique, de Bierzo – onde brilha a casta Mencìa. Entre os novos vinhos de produtores tradicionais estão os vinhos Strabon, do produtor Gil Luna. De Portugal serão levados à ExpoVinis os refrescantes vinhos Verdes da Quinta de Gomariz, do Minho. Uma vinícola cujos vinhos, elaborados com castas como a Loureiro e Alvarinho, revelam excelente relação preço/prazer. Estão a caminho do Brasil os vinhos da vinícola Alentejana Dona Maria. Tintos e brancos frescos e minerais, com potência e classe impecáveis. Da Itália, merecem destaques, entre as novidades, os vinhos da Rocca delle Macìe e da Tenuta Podernovo, da Toscana; e também os brancos do produtor Pieropan, da região de Soave, no Vêneto. Da Rocca delle Macìe serão apresentados o branco Vermentino Maremma Toscana IGT e tintos como Chianti Clássico, o Ser...

Presse - Todos os Direitos Reservados

Desenvolvido por: