Onde investir: quatro opções para quem ganha de R$ 3 mil a R$ 5 mil

Onde investir: quatro opções para quem ganha de R$ 3 mil a R$ 5 mil

Em plena época de crise e incerteza econômica no Brasil, guardar dinheiro é fundamental. No entanto, especialistas afirmam que investir também pode ser uma boa alternativa para fazer a poupança render e gerar frutos para o futuro. Quem ganha de quatro a seis salários mínimos por mês, por exemplo, pode considerar investimentos com prazos mais curtos, em fundos mais conservadores. Segundo o economista Fausto Curadi, da InterInvest Investimentos, de Blumenau (SC), os riscos são menores, há baixa oscilação nos preços e facilidade no resgate. No Brasil é possível encontrar investimentos com essas características e que ainda oferecem rendimentos consideráveis, superiores aos da caderneta de poupança e à inflação. São eles: 1 – Certificado de Depósito Bancário (CDB) São títulos que os bancos emitem para captar dinheiro das pessoas. Dessa forma, o banco remunera com juros, que varia de acordo com o valor emprestado, a quem emprestou. Os CDBs são garantidos pelo Fundo Garantidor de Créditos até o limite R$ 250 mil, por CPF e por instituição financeira. 2 – Tesouro Direto É um programa de investimento extremamente seguro e de baixíssimo custo. Ele oferece rentabilidades maiores que a poupança, sendo considerado um dos melhores investimentos de renda fixa para investidores que buscam segurança, lucro, liquidez e simplicidade. 3 – Fundos de renda fixa conservadores Os fundos de renda fixa conservadora, entre os quais se enquadram os fundos DI, são fundos de investimento que só investem em papéis de baixo risco — títulos públicos, títulos emitidos por grandes bancos que contem com garantias e operações no mercado financeiro que busquem replicar o desempenho do CDI. 4 – Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e Letra de...
Mercado de investimentos: as 10 dúvidas mais comuns sobre o assunto

Mercado de investimentos: as 10 dúvidas mais comuns sobre o assunto

Mais do que nunca, investir é preciso. Pelo menos é esta a opinião de especialistas no assunto, que destacam a importância de aplicar o dinheiro com consciência e pensamento no futuro. “Com a oscilação do mercado financeiro no Brasil, o momento é mais do que oportuno”, destaca o economista Fausto Cheida Curadi, da InterInvest Investimentos, de Blumenau (SC). Ainda assim, muita gente tem dúvidas básicas sobre o tema. Por onde começar? Existe uma idade certa para investir? É muito arriscado? Quanto da minha renda devo aplicar? Com o objetivo de facilitar a vida de quem quer entrar no mercado mas não sabe como, o especialista responde a estas e outras perguntas: 1 – O que é um título? Títulos financeiros são “papéis” vendidos pelos governos ou empresas ao mercado financeiro para obter recursos financeiros. Eles são emitidos pelo Tesouro Nacional para financiar a dívida pública nacional e têm várias características atraentes para o investidor brasileiro, como grande previsibilidade de retorno, liquidez diária, baixo custo, baixo risco de crédito e a solidez de uma grande instituição por trás de tudo. 2 – O que são ativos de rendimentos fixos e rendimentos variáveis? Um ativo nada mais é do que o veículo específico do meu investimento. Quando o governo, por exemplo, precisa de dinheiro para se financiar, vai ao mercado e oferece uma determinada taxa de remuneração pelo dinheiro. Esse é o juro que ele está disposto a pagar e eu, como investidor, posso emprestar e receber a taxa combinada. Como seu valor nominal é fixado e possuiu uma evolução constante, chamamos essa operação de renda fixa. 3 – Qual é a melhor idade para começar...
Ainda dá tempo: como recuperar o prejuízo financeiro e fechar 2017 no azul

Ainda dá tempo: como recuperar o prejuízo financeiro e fechar 2017 no azul

É sempre a mesma coisa: o segundo semestre chega e você, que prometeu a si mesmo guardar dinheiro desde janeiro, começa a pensar que vai terminar mais um ano no vermelho. Essa é a realidade de muitas pessoas, mas não precisa ser assim. Segundo o economista Fausto Cheida Curadi, da InterInvest Investimentos, de Blumenau (SC), não é porque dezembro se aproxima que o caminho não tem mais volta. “É possível reverter a situação. A dica é deixar o valor que se pretende guardar por mês já programado para debitar da conta corrente mensalmente, assim a pessoa já tem essa obrigação  e não conta com esse recursos para eventuais despesas”, explica o especialista. Veja outras dicas do economista para correr atrás do tempo perdido em 2017: 1 – Tenha uma meta definida “É mais fácil não cometer deslizes financeiros quando você sabe por que está economizando. Definir um objetivo final — trocar de carro, comprar um imóvel, as tão sonhadas férias — é essencial para não esquecer os motivos pelos quais se está tomando um rumo novo na vida.” 2 – Programe-se e seja comprometido com seu objetivo “Programar mensalmente o valor a ser guardado é primordial. Temos que pensar nesse valor como se fosse uma prestação: não pode atrasar. Afinal, conquistar os sonhos e objetivos depende dessa disciplina.” 3 – Diversifique seus investimentos “É bom deixar claro, que quanto maior o retorno, maior o risco. O investidor deve diversificar sempre os investimentos de acordo com o seu perfil (conservador, moderado ou arrojado). A bolsa de valores tende a ser uma ótima opção para investimento no longo prazo, mas temos...
Cinco formas de ser bem-sucedido financeiramente aos 30 anos

Cinco formas de ser bem-sucedido financeiramente aos 30 anos

Muita gente pensa nos 30 anos como a idade do sucesso. É a época em que se espera estabilidade na vida pessoal e profissional, além de uma extensa coleção de carimbos no passaporte. Mas e se não for bem esse o caso? Segundo o estudo Projeto 30, conduzido em 2016 pela empresa Pesquisaria, a expectativa de estar financeiramente estável para realizar tais sonhos aos 30 tornou-se realidade para apenas 18% da classe A e 14% da classe B no Brasil. A pergunta é: por quê? Para o economista Fausto Cheida Curadi, da InterInvest Investimentos, de Blumenau (SC), a resposta está na organização e nas escolhas que se faz nessa idade. Ele explica que, com pequenas mudanças de hábito no departamento financeiro da vida, a frustração de estar sempre no vermelho no fim do mês pode se transformar em saldo positivo. O especialista aponta a seguir quais são os segredos dos adultos bem-sucedidos financeiramente aos 30 anos de idade: 1 – Eles sabem no que estão gastando “É muito importante conhecer as finanças pessoais para saber para onde está indo o dinheiro e, se for preciso, reduzir os gastos. Isso gera um planejamento financeiro eficiente.” 2 – Eles têm um controle de gastos por escrito “Essa estratégia é interessante porque a pessoa visualiza seus gastos e fica mais fácil fazer o controle. Cortar pequenos gastos diários faz toda a diferença no decorrer do tempo.” 3 – Eles pensam no futuro “Muitas pessoas gastam hoje sem pensar que podem não ter dinheiro amanhã. É a mesma coisa com o passar dos anos: a casa própria, o carro novo, as férias ficam...
Bolsa de Valores pode representar oportunidade para investidor em época de instabilidade política

Bolsa de Valores pode representar oportunidade para investidor em época de instabilidade política

O investimento em ações é comumente considerado de alto risco. Mas, ao contrário do que muitos pensam, a Bolsa de Valores pode, sim, dar um retorno satisfatório em médio e longo prazo, mesmo no cenário de turbulência política e econômica como o que o Brasil enfrenta. Especialistas defendem que este seria justamente o momento certo para investir no mercado de ações, uma vez que ele pode oferecer oportunidades de potencializar os ganhos devido à volatilidade do mercado. Segundo o especialista em mercado de capitais e sócio da Interinvest Investimentos, Luís Fernando Zen, qualquer pessoa hoje pode ter acesso ao mercado de capitais. A dica para quem nunca investiu é procurar uma corretora de valores ou um assessor de investimentos para auxiliar nesse processo. Para quem tem interesse em começar, mas não sabe como fazer, o especialista dá algumas sugestões:   Como começar? Quem quer começar a investir em renda variável deve procurar uma corretora de valores ou um assessor financeiro e fazer seu cadastro. Em 24h já será possível enviar as primeiras ordens ao mercado. A ordem é a instrução dada por um cliente à corretora para a execução de uma compra ou uma venda de ações.   2) Qual o valor mínimo para se investir? As empresas de capital aberto são negociadas por lotes de 100 ações. Por exemplo, a ação da Petrobras custa R$ 15,00. O lote padrão será 100 x R$ 15,00, ou seja, R$ 1,5 mil. Existe ainda o mercado fracionário, que poderia ser negociado por múltiplos de uma ação, porém a liquidez é menor. Mas, em se tratando em ativos de primeira linha (empresas...
A questão central da previdência

A questão central da previdência

Em tempos de reforma da previdência, a estridência dos discursos antagônicos vem ocupando parte relevante do debate, obstaculizando o entendimento sobre a previdência e seus desdobramentos. A primeira questão sobre a aposentação diz respeito ao seu modelo de financiamento. Podemos ter um modelo de capitalização individual, no qual as pessoas poupam e usufruem na época que precisarem; ou o modelo adotado hoje, um sistema de compartilhamento com transferência de parte dos proventos dos ativos, que formam o fundo que financia a renda dos inativos. A segunda questão é sobre haver classes diferenciadas pela natureza mais ou menos insalubre do trabalho desempenhado. A legislação traz inúmeras diferenciações, notadamente para os servidores públicos. A maior parte do debate concentra-se nesta arena, já que como estamos mudando as regras do jogo e não começando do zero, as escolhas feitas terão perdedores. E serão os integrantes da alta camada estatal os maiores atingidos. A terceira questão é a avaliação da pirâmide etária brasileira e como será o país em termos demográficos daqui a 50 anos. A forma gráfica piramidal da nossa população, aos poucos, está sendo substituída, onde teremos grande parte da população sexagenária e uma camada menor de jovens e adultos. Diferentemente do que se debate, não é a expectativa de vida a variável chave, mas a expectativa de sobrevida – quantos anos em média vive o brasileiro contribuinte depois dos 60 anos. O pano de fundo que permeia essa teia de questões, números e tendências reside em definirmos o que significa aposentar-se. E isso mudou nas últimas décadas. A aposentadoria é um recurso a fim de continuarmos nossa existência de modo...

Presse - Todos os Direitos Reservados

Desenvolvido por: