Os tesouros culturais de Gaspar

Coro Santa Cecília e Banda São Pedro reavivam as tradições musicais na cidade e na região
[photopress:coral_red.jpg,resized,centered]

Com forte colonização alemã, a cidade de Gaspar sempre cultivou as tradições trazidas pelos imigrantes, especialmente na área cultural. Prova disso é a existência de dois grandes símbolos culturais da cidade que vêm se fortalecendo ao longo dos anos: o Coro Misto Santa Cecília e a Banda São Pedro. Ambos acabam de ser contemplados com recursos do Funcultural – Fundo de Apoio à Cultura do Governo do Estado de Santa Catarina –, que promoverão melhorias na estrutura e atividades dos grupos.

O papel desses grupos que promovem o ensino e aperfeiçoamento musical para Gaspar e região, prestando voluntariamente serviços à comunidade, é de grande importância. Afinal, desde o início da história da cidade eles animam as festas populares e difundem a cultura para toda a sociedade.

Coro Misto Santa Cecília – O coro completou 111 anos de existência em 2009. Formado por frades franciscanos de Blumenau, que na ocasião prestavam assistência religiosa em Gaspar, foi regido especialmente pelos párocos. Esse fato influenciou a formação do coral, que desde o início teve como principal repertório as obras sacras e cantos gregorianos. Em 1958, com a reorganização do coro por Egon Bohn, foram admitidos jovens cantores que receberam do novo regente instrução teórica e técnica vocal, sendo também ampliado o repertório para músicas populares e folclóricas.

Em 1977 houve a fusão com o Clube Musical São Pedro, passando a dividir espaço físico na sede social, o que proporcinou a parceria em diversos trabalhos musicais. Em 30 de outubro de 1997, foi constituído juridicamente como entidade cultural sem fins lucrativos.

Atualmente, os 38 participantes se reúnem todos os domingos para ensaiar com o regente Dayro Bornhausen. O repertório foi largamente diversificado e o grupo recebe aulas de técnica vocal e biodança para aprimoramento musical.

O Coro Misto Santa Cecília participa de diversos eventos culturais na cidade. O principal, segundo a presidente do coro Angela Pereira Spengler, é o Concerto Anual realizado na Igreja Matriz. O grupo ainda participa de liturgias e missas solenes comemorativas. Também já se apresentou no Teatro Carlos Gomes com a Orquestra Prelúdio e participa de eventos culturais e celebrações de casamentos em Gaspar e região. Os recursos recebidos do Funcultural servirão para a compra de uniformes para o grupo.

Banda São Pedro – A banda também é figura constante em eventos da comunidade, animando festas populares e religiosas, participando de desfiles, recepções, abertura de eventos sociais e esportivos e concertos. Todas as semanas os músicos se encontram para ensaiar e os instrumentistas têm aulas individuais para aperfeiçoamento.

Outra atividade importante do Clube Musical São Pedro, do qual a banda faz parte, é a
Escola de Iniciação Musical. Cerca de 20 alunos recebem aulas sem custo algum e podem usufruir de uma completa estrutura para desenvolver o aprendizado, tendo ainda à disposição instrumentos e materiais didáticos e dois professores para instrumentos de metais e de palhetas. A contrapartida deste aprendizado gratuito está no comprometimento com o Clube e na participação das suas atividades.

“O Clube Musical São Pedro representa hoje para a cidade de Gaspar uma das poucas entidades culturais juridicamente constituídas, completando 63 anos de atividades sem interrupção, formando músicos que já se projetaram no cenário regional e até nacional. Representa Gaspar para além fronteiras, como a participação nos desfiles da Oktoberfest e a promoção do Concurso de Bandas e Fanfarras realizado anualmente junto ao festival de inverno da cidade, reunindo cerca de 1800 jovens participantes de 30 corporações musicais”, aponta um dos responsáveis pelo clube João Batista Bohn. Ele também é autor do livro “Clube Musical São Pedro – 50 anos de história”, que conta a história do grupo desde a fundação até as comemorações de meio século de vida.

Entre os fatos marcantes na história da banda estão a gravação de um CD em 2001, a conquista de intercâmbio cultural com a Federacioni Dei Corpi Bandistici Della Provincia di Trento, na Itália, em 2000, e com o Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos, de Tatuí, em 2009.

Os recursos recebidos do Funcultural serão aplicados na reestruturação da entidade, na aquisição de computador e periféricos, máquina fotográfica digital para registro das atividades e também na substituição de instrumentos desgastados. “Uma entidade desta natureza requer constantes renovações, tanto na substituição de instrumentos, por sinal de custo elevado, como na conquista de novos integrantes”, afirma Bohn. Hoje o clube recebe ajuda financeira do Poder Público e conta com o trabalho dos coordenadores para manter o quadro de componentes. “Enquanto existirem idealistas dedicados ao trabalho voluntário é certo que as finalidades serão cumpridas, pois nosso grande objetivo é transformar estes voluntários em propagadores do ensino musical, transformando-os em líderes futuramente”, observa.

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Presse - Todos os Direitos Reservados

Desenvolvido por: