Paciente conta como a mudança de hábitos o fez vencer a hipertensão

Alimentação balanceada e a prática de exercícios físicos deram qualidade de vida à paciente que superou o infarto e lutou diariamente contra a doença.

 

Ricardo Sperl foi diagnosticado com princípio de infarto e hipertensão aos 40 anos após realizar exames de rotina. “Fui ao hospital para realizar exames de “check up”, pois estava me sentido muito mal e, neste momento, fiquei internado, pois estava infartando”, conta Sperl.

O paciente lembra do susto. “Sempre me cuidei e nunca havia sentido dores, somente naquele dia. O mais surpreendente é que a hipertensão é uma doença silenciosa e quando a descobrimos, é tudo muito rápido. No momento que percebi que estava doente, decidi mudar completamente minha rotina, ou seja, levar uma vida mais saudável para garantir minha qualidade de vida”.

“A hipertensão ocorre quando o sangue bombeado do coração exerce uma força muito grande contra as paredes das artérias do corpo humano e os vasos sanguíneos dificultam a circulação. A doença corresponde ao nível da pressão acima do normal e a pressão alta atinge, sobretudo, o coração. Afetando um em cada quatro brasileiros ela é uma doença silenciosa que requer atenção redobrada”, explica o cardiologista e presidente da Unimed Blumenau, Dr. Alexandre José Ferreira.

“Eu sou muito grato por vencer a hipertensão. Após a internação, realizei vários exames e, em 2017, fiz uma cirurgia para colocar um stents (tubo de metal utilizado para restaurar o fluxo sanguíneo na artéria coronária e trazer ritmo normal ao coração). A partir deste momento, começou outra história na minha vida. Um colaborador da Unimed Blumenau entrou em contato comigo e me propôs um programa de recuperação através de exercícios físicos e alimentação saudável”, comenta Sperl.

Ele conta os resultados que conseguiu após essa mudança de hábitos. “Eu perdi 11 quilos em três meses, apenas cuidando da alimentação e fazendo exercícios físicos regulares. Eu ganhei uma nova chance para viver, e estou desfrutando dela dia a dia. Poder ver os filhos, a família e os amigos não têm preço e é a minha maior alegria. O reconhecimento de cada atitude que tomei, é o que me faz seguir adiante, pois qualidade de vida realmente não tem preço”, conta Sperl.

A história de superação de Ricardo Sperl está registrada em vídeo em uma campanha de prevenção da Unimed Blumenau para estimular os cuidados com a saúde e prevenção.

 

Hipertensão

Segundo a Organização Mundial da Saúde – OMS, a hipertensão é responsável por 80% das mortes causadas por problemas do coração, 51% dos acidentes vasculares cerebrais, conhecidos por AVCs, e 45% dos ataques cardíacos em países emergentes, como o Brasil.

“A doença é conhecida como “inimiga silenciosa”, pois, pode ficar muitos anos sem apresentar sintomas. Porém, no decorrer desse silêncio, o nível de pressão acima do normal já pode estar afetando os rins, o coração, a circulação e, o cérebro, além de outros órgãos, causando problemas futuros”, informa o cardiologista e presidente da Unimed Blumenau, Dr. Alexandre José Ferreira.

 

Fatores de risco

De acordo com o cardiologista, existem alguns fatores que podem ocasionar a hipertensão, como:

 

  1. Excesso de peso: O excesso de massa corporal é um fator de risco para a doença. O excesso de peso provoca sobrecarga cardíaca através de um mecanismo de compensação. Ele diminui o fluxo sanguíneo, fazendo com que o coração tenha que trabalhar mais para manter os níveis adequados de irrigação.

 

  1. Tabagismo: Substâncias encontradas no cigarro provocam alterações nas paredes das artérias, como a redução da elasticidade, estimulação ou diminuição do calibre dos vasos sanguíneos que levam ao aumento da pressão arterial.

 

  1. Sedentarismo: Segundo a OMS, a falta de atividade física praticamente dobra o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. A falta de exercício físico causa um menor consumo energético, tendo muitas vezes como possível consequência, a obesidade. Quem não se exercita também não tem artérias fortes, causando assim, problemas de pressão.

 

  1. Estresse: Além dos efeitos imediatos, o estresse causa uma série de efeitos indiretos. O excesso de compromissos do dia a dia, o cansaço e a irritabilidade geram desgaste emocional, reforçando, assim, a hipótese para o aumento de doenças do coração. Com o estresse diário, o organismo fica mais sensível e, consequentemente, fica propício para o aparecimento de várias doenças, entre elas a hipertensão.

 

  1. Excesso de sal: O consumo excessivo de sal pode causar o aumento da pressão em pessoas com tendência a esse desequilíbrio. Diminuir sua ingestão é um modo de controlar a pressão e não se tornar hipertenso.

 

“Para prevenir a hipertensão, é recomendável ingerir pouco sal, não fumar, consumir moderadamente bebida alcoólica, dormir de 7 a 8 horas por noite e, principalmente, praticar exercícios físicos, além de manter uma alimentação equilibrada”, informa o cardiologista.

 

Mais informações:
Presse Comunicação Empresarial – Assessoria de Imprensa
Blumenau – Santa Catarina
(47) 3041-2990 ou 3035-5482 | www.presse.inf.br

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Presse - Todos os Direitos Reservados

Desenvolvido por: