Quando devemos procurar um cardiologista?

Saiba quais sinais indicam que chegou a hora de ir ao médico para cuidar do coração

Em qualquer idade, conhecer e evitar os fatores de risco para os problemas do coração é muito importante. Mas, como saber que está na hora de procurar um cardiologista? Para o médico Joelson Freitas Leite, da Unicardio, não se pode dizer que existe uma idade ideal para a primeira visita ao cardiologista, porque tudo vai depender de uma série de fatores.

Pode iniciar na infância, por indicação do pediatra, quando ele perceber algum sinal de que o coração esteja apresentando problemas.

Outra indicação de que é preciso marcar uma consulta é quando aparece qualquer sintoma como dor no peito, palpitação e cansaço. “Na dúvida, é melhor ver um cardiologista e pecar por excesso”, aponta dr. Joelson.

Antes de iniciar uma atividade física é imprescindível a consulta ao cardiologista. Isso porque a prática de esportes leva a uma série de adaptações morfológicas que influenciam em mudanças no coração, dependendo do tipo, duração e intensidade dos exercícios físicos.

Segundo dr. Joelson, quem pratica atividades físicas de alto rendimento pode ter a freqüência cardíaca desacelerada e até um atraso na condução do impulso elétrico do coração, o que demonstra a adaptação desse órgão às atividades desenvolvidas. O médico também alerta para os perigos do futebol de fim de semana ou da musculação de alto impacto iniciada de repente. “É necessário começar qualquer atividade física gradativamente, aos poucos, para que o organismo possa se adaptar”, explica.

O histórico familiar é outro fator importante para que as pessoas saibam quando ir ao cardiologista. A existência de casos de problemas cardiovasculares na família por si só já é um fator de risco e indica a necessidade de orientação médica.

Para quem não se encaixa em nenhum desses parâmetros a dica é não deixar passar dos 30 anos de idade para fazer a primeira consulta com um cardiologista. Essa é a idade preconizada por um estudo realizado na década de 40 nos Estados Unidos, com mais de 5.200 pacientes. A pesquisa mostra que a partir dessa faixa etária torna-se mais comum o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Por tudo isso, é importante ficar atento aos sinais do organismo. E, na dúvida, é melhor buscar ajuda de um especialista.

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Presse - Todos os Direitos Reservados

Desenvolvido por: