SC Gourmet chega o fim, mostrando o melhor da enogastronomia brasileira

De 18 a 21 de julho expositores de diversas parte do Brasil receberam um público selecionado no Setor 1 do Parque Vila Germânica, em Blumenau, durante os quatro dias de SC Gourmet – Mostra Brasileira de Delikatessen, Queijos, Vinhos e Gastronomia.

Profissionais da área e consumidores puderam conhecer novidades em vinhos, cachaças, produtos delicatessen, queijos, especiarias, geleias, sucos e o que há de melhor em enogastronomia no país e também produtos importados. Depois de uma tarde repleta de palestras e oficinas, o evento foi fechado com um jantar harmonizado preparado pelo chef alemão Heiko Grabolle.

Oportunidades e desafios no setor de cachaças

Visando melhorar a imagem da cachaça no país e no mundo, o diretor executivo do Instituto Brasileiro da Cachaça – IBRAC, Carlos Lima, falou sobre as oportunidades que cercam o setor na atualidade. Em palestra apresentada neste sábado (21) na SC Gourmet, ele explicou que uma carta foi assinada entre o Brasil e os Estados Unidos, onde o país americano reconhece a cachaça como produto brasileiro. “Devemos aproveitar esta boa oportunidade e garantir que a bebida seja um produto exclusivo de nosso país, assim como a tequila é mexicana e outras bebidas também são rotuladas”, enfatizou.

Um dos grandes desafios está na informalidade de produtores. No Brasil, apenas 15% são formalizados, ou seja, o restante dos produtores não pagam impostos e não oferecem garantia do produto ao consumidor. “A carga tributária do produto deve ser reduzida. Para que isto aconteça, a cachaça precisa ser inserida no sistema simplificado de tributação”, indagou Lima. Para ele, a bebida deixou de ser vista como um produto de baixa qualidade, havendo menos preconceito e, inclusive, mais mulheres apreciando. Na palestra, Lima abordou ainda o Dia Nacional da Cachaça, que está em trâmite para ser reconhecido e comemorado no dia 13 de setembro e falou também sobre a Campanha Cachaça Legal, que incentiva as pessoas a consumirem apenas produtos com selos que indiquem a legalidade da bebida.

Brigadeiro sofisticado

O tradicional brigadeiro deixou de ser um simples docinho e passou a ser feito e servido de diferentes maneiras. Na oficina Brigadeiro Gourmet, ministrada pela chef Célis Machado, o público pode aprender uma forma ainda mais saborosa para cozinhar o prato, apreciado por todas as idades. A chef ensinou como fazer brigadeiros de chocolate preto, chocolate branco, floresta negra ou ovomaltine, misturando creme de leite e farinha de trigo, ingredientes que não costumam ser utilizados na receita convencional. “É interessante passá-los em raspas de chocolate, para que fiquem mais bonitos e ainda mais gostosos”, explicou a chef. Ao final da oficina, os participantes puderam degustar os docinhos, que fizeram sucesso no evento.

Ecogastronomia – ecologia na mesa


A ecogastronomia é um movimento que defende o uso de ingredientes frescos e sem agrotóxicos ou conservantes químicos, além de valorizar sabores locais e levar em conta fatores como consciência ambiental, responsabilidade social e biodiversidade agrícola. O tema foi abordado em uma palestra ministrada pelo chef Enio Cardoso na SC Gourmet neste sábado. “A Ecogastronomia surgiu no Brasil há cerca de dez anos. Temos grandes representantes como Alex Atala e Claude Troisgros. No mundo, este conceito já existe há cerca de 25 anos”, comentou o chef.

Segundo Enio, os benefícios são inúmeros, tanto para o consumidor como para o produtor: “Produtos diferenciados e com mais qualidade, diminuição da poluição, otimização do transporte, além dos benefícios para a saúde”, enumera. O grande desafio, na opinião do chef, é encontrar os produtos no mercado. Além disso, por ser um movimento ainda pouco disseminado no país, o custo desses produtos ainda é alto.

Sebrae apresenta produtores de diferentes partes de Santa Catarina

O Sebrae montou um estande com delícias de todo o Estado. De Jaraguá do Sul veio a Voitila, fabricante de batatas recheadas com bacon e requeijão congeladas. Basta aquecer 12 minutos no microondas. Elas podem ficar no congelador por até quatro meses. Não possuem conservantes nem aromatizantes.

Os Biscoitos Coimbra lembram os sabores da infância. São oito tipos de biscoitos doces e salgados, fabricados manualmente sem conservantes ou aditivos químicos. Cada um tem um é produzido a partir de uma receita diferente. A empresa tem sede em Chapecó, mas os proprietários pensam em expandir o mercado.

A Bella Vita, de Pinheiro Preto, meio oeste de Santa Catarina, trouxe os sucos de uva tinta e branco e o vinagre de vinho tinto. Os sucos são integrais, sem açúcar ou conservantes, comercializados em garrafas de um litro, 1,5 litros e 2 litros.

A novidade dos Vinhos Piccinin, de Tangará, são o vinho branco seco feito a partir da uva Casa Dura e o vinho rosé seco Cabernet Sauvignon. O Casa Dura, único desse gênero na SC Gourmet, é um vinho aromático, jovem, com aromas frutados e marcantes.

A Vinícola Kranz, de Treze Tílias, participa da SC Gourmet com os lançamentos: sucos naturais de maçã com uva, maçã com limão, pera com limão e maçã com morango. Outra novidade é a geleia de mirtilo.

De Braço do Norte, a Dobhrunno produz cortes especiais defumados de suínos e aves. Um dos carros-chefes é o peito de pato defumado. Destaque também para o filé suíno defumado com pimenta calabresa e a linguiça tipo húngara.

A Gran Paladare, de Chapecó, trouxe para a feira diferentes tipos de queijos. Entre os destaques, está o queijo pecorino, produzido 100% com leite de ovelha, sem lactose. Os produtos podem ser encontrados em mercados de todo o Estado.

De São Bento do Sul, a Delikaten veio à Mostra pela segunda vez, apresentando cookies artesanais, brownies de chocolate e barras de chocolate belga. O destaque fica para o amanteigado com castanha de caju e chocolate.

Semente de uva para prevenir doenças

A Biotherapy, empresa localizada em Antônio Prado, na serra gaúcha, participa da SC Gourmet pela primeira vez, apresentando o óleo e a farinha feitos à base de semente de uva, que trazem benefícios para a saúde e auxiliam a combater doenças degenerativas.

A ideia surgiu em 2009, por conta do desperdício de sementes de uvas, que eram jogadas fora e poluíam o meio ambiente. Hoje, a empresa tem vinicolas e outros parceiros que utilizam as uvas e selecionam sementes para a venda. A marca pode ser encontrada em lojas de delicatessen e produtos naturais de alguns Estados do Brasil.

Mais informações:
Presse Comunicação Empresarial – Assessoria de Imprensa
Blumenau – Santa Catarina
(47) 3041-2990 ou 3035-5482 | www.presse.inf.br

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Presse - Todos os Direitos Reservados

Desenvolvido por: