Setores obrigados à emissão de NF-e devem ficar atentos aos períodos de indisponibilidade

No mundo da tecnologia, a palavra contingência não é nova. E cada vez mais as empresas devem ter as melhores soluções implementadas para enfrentar situações que exigem planos de contingência, como é o caso da Nota Fiscal Eletrônica. A atividade administrativa já faz parte do dia a dia de mais de 90 setores, obrigados a se adequar ao sistema em 2009. Neste ano, mais 239 precisarão operar com nota fiscal eletrônica. Se, por um lado, a ação traz ganhos de gestão administrativa e facilidades de fiscalização para o governo, o processo pode parar uma empresa em caso de indisponibilidade e gerar muitos prejuízos. Imagine uma empresa que emite 30 mil notas ao dia ficar parada durante duas horas por conta de indisponibilidade do sistema.

O sócio da G2KA, empresa blumenauense de soluções para NF-e e Conhecimento de Transporte Eletrônico, Maicon Klug, explica que é preciso que as empresas estejam preparadas para os períodos de contingência. “O sistema oferecido gratuitamente pela Secretaria de Fazenda – SEFAZ já tem planos alternativos, mas, com pouca agilidade. Por isso, empresas desenvolvedoras de softwares oferecem soluções diversas muito mais robustas e eficazes”, destaca. Fazendo a escolha pela solução certa, adequada ao volume de notas fiscais emitidas pela empresa, Klug garante que os períodos de contingência podem ser enfrentados sem sobressaltos.

Por que são necessárias paralisações

Os contribuintes devem ficar atentos para os períodos de paralisação dos sistemas e aplicações da Secretaria de Fazenda. Muitas vezes é necessário parar para a realização de reparos e manutenção. E os usuários devem buscar alternativas para cumprir suas obrigações tributárias no período.

Alternativas

Quando os ambientes estaduais das Secretarias de Fazenda estiverem fora de operação ou em manutenção, a autorização da NF-e deve ser feita por meio de ambientes alternativos, como o Sistema de Contingência do Ambiente Nacional (SCAN). Outros modos de contingência disponíveis são a Declaração Prévia de Emissão em Contingência (DPEC) e o Formulário de Segurança.

Klug explica que no caso de sistemas como o G2KA NF-e, o controle de contingência já está integrado à solução e o usuário pode continuar emitindo seus documentos, sem interrupções. “É o sistema que se encarrega de tomar as medidas alternativas, de forma segura e eficaz”, destaca. O sistema da G2KA pode ser integrado a qualquer ERP instalado; apresenta portabilidade entre diferentes sistemas operacionais; suporte a vários bancos de dados; impressão remota; backup via software para replicação das informações fiscais eletrônicas; entre outros diferenciais. O sistema da G2KA para notas fiscais eletrônicas também é oferecido em modelo SaaS (Software como Serviço).

Sobre a G2KA

A G2KA oferece ao mercado softwares para a gestão de Nota Fiscal eletrônica, e Conhecimento de Transporte eletrônico e Nota Fiscal de Serviços eletrônica. As ferramentas são modularizadas e permitem adequação ao processo operacional e infraestrutura de cada cliente. A divisão em módulos também possibilita rápida implantação, fácil manutenção e alta escalabilidade.

Fundada em agosto de 2008, a G2KA surgiu com a proposta de oferecer ao mercado soluções inovadoras, de alto valor agregado, gerando redução de custos e maior agilidade nos processos operacionais. Valorização, capacitação, conhecimento aplicado, inovação e ética são valores tomados como alicerces pela empresa para geração de parcerias de sucesso.

MAIS INFORMAÇÕES:
[Presse] Comunicação Empresarial
Fernanda Momm – (47) 9919-6779 | fernanda@presse.inf.br
Cristiane Zimmermann – (47) 9943-2992 | cristiane@presse.inf.br
WWW.PRESSE.INF.BR

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Presse - Todos os Direitos Reservados

Desenvolvido por: