Sintex apresenta dados do setor têxtil e perspectivas para 2015

Nesta terça-feira (23), o Sintex – Sindicato das Indústrias de Fiação, Tecelagem e do Vestuário de Blumenau, promoveu evento para apresentar o Relatório Setorial Têxtil 2015 e debater as perspectivas do setor para este ano. A apresentação foi feita por Marcelo Prado, diretor do Iemi – Inteligência de Mercado, que desenvolveu o estudo, e pelo presidente do Sintex, Ulrich Kuhn. Participaram representantes de indústrias têxteis associadas ao Sintex e convidados.

O estudo tem como objetivo principal oferecer informações estatísticas detalhadas da oferta e demanda das indústrias têxteis e de confecção instaladas no estado de Santa Catarina, em especial na região de Blumenau. “Estes dados tem diferentes aplicações estratégicas, mas dentre elas, destaco a  importância de atualizar as informações sobre o real tamanho da indústria têxtil catarinense e de reafirmar a posição de destaque do estado. Apesar do cenário nacional, a indústria têxtil de Santa Catarina, em especial do Vale do Itajaí, continua se destacando nacionalmente”, afirma o presidente do Sintex, Ulrich Kuhn.

Cenário nacional

Em âmbito nacional, a cadeia têxtil produziu em 2014 cerca de R$ 126 bilhões. Os empregos gerados no setor somaram quase 1,6 milhão de postos de trabalho, ou o equivalente a 16,8% do total de trabalhadores alocados na produção industrial nesse ano, o que demonstra o forte impacto social do segmento.

De acordo com dados do Iemi, entre 2010 e 2014, houve aumento de 3,5% no número de unidades produtivas têxteis e confeccionistas em atividade no país, assim consideradas aquelas que tinham no mínimo cinco empregados em 1º de janeiro de cada ano. No setor confeccionista, o número de fábricas cresceu 3,7%, e nos segmentos têxteis (fiação, tecelagem, malharia e beneficiamento) houve aumento de 0,9%.

Santa Catarina

No estado de Santa Catarina estão localizadas 15,4% dos produtores da cadeia têxtil brasileira, ou 4.937 unidades de produção, sendo 798 produtoras ou beneficiadoras de manufaturas têxteis e 4.139 fabricantes de artigos confeccionados.

A maior participação de Santa Catarina está no segmento têxtil, com 27,0% do total nacional. Os maiores destaques do estado são os polos produtores de malharia e beneficiamento, nos quais participa com 36,8% da produção nacional de tecidos de malha e 29,5% da produção de artigos beneficiados.

Empregos

Entre 2010 e 2014, o pessoal ocupado na cadeia têxtil nacional caiu 3,1%, enquanto que em Santa Catarina caiu 2,8%.

As indústrias têxteis e confeccionistas catarinenses empregaram diretamente 163,5 mil trabalhadores registrados (formais) em 2014. Quando considerado todo o pessoal ocupado pelo setor (registrados, terceirizados, autônomos, cooperados, não registrados, etc.), o número total de postos de trabalho oferecidos pelo setor supera os 300 mil.

O emprego formal do segmento têxtil de Santa Catarina representa 22,5% do total do Brasil. Enquanto o segmento de confeccionados responde por 16,7%, no total o estado emprega 17,8% da mão de obra registrada no setor têxtil e confeccionista.

Aproximadamente 73,4% do pessoal ocupado no conjunto da cadeia têxtil de Santa Catarina atua no setor confeccionista. Em termos nacionais, 82,8% do pessoal é empregado na indústria de confecção e 17,2% nas manufaturas têxteis (fiação, tecelagem, malharia e beneficiamento).

Produção

No período analisado pelo estudo setorial, de 2010 a 2014, a produção nacional de artigos têxteis, medida pelos volumes produzidos de fios e adicionados ao consumo interno de filamentos, incluindo polipropileno (filamento e ráfia), apresentou queda de 8,8%. A produção de fios recuou 15,6%; a de tecidos planos, 8,4%; e a de tecidos de malha, 16,9% no período.

A produção total de artigos confeccionados, medida em volumes de peças, caiu 4,4%. O vestuário apresentou queda de 4,6%, tendo os artigos da linha lar recuado 4,1%, e os artigos técnicos e industriais, recuado 4,2%.

Santa Catarina participou com 21,3% da produção nacional de produtos manufaturados têxteis e 17,4% da produção de artigos confeccionados de 2014.

Comércio Exterior

O déficit da cadeia têxtil brasileira chegou a US$ 4,7 bilhões em 2014, quando considerados todos os produtos têxteis, inclusive as fibras. Pelos portos de Santa Catarina chegaram 47,6% desse volume.

As exportações brasileiras de produtos têxteis e artigos confeccionados vêm enfrentando grandes dificuldades, principalmente nos mercados norte-americano e europeu, graças à oferta crescente de produtos asiáticos a preços reduzidos.

Nos últimos cinco anos, entre 2010 e 2014, as exportações cresceram 12,0% em valores, ao mesmo tempo em que as importações avançaram 43,0%. Com o resultado das exportações de US$ 2,6 bilhões e importações de US$ 7,3 bilhões, o déficit na balança comercial do setor atingiu US$ 4,7 bilhões em 2014, incluindo-se a totalidade dos produtos têxteis, inclusive fibras.

Em 2010 as exportações efetuadas através do estado de Santa Catarina representaram 2,5% dos volumes nacionais e 8,7% dos valores. Em 2014, essa participação caiu para 1,8% dos volumes e 6,9% dos valores.

NOTA IMPORTANTE

É importante ressaltar que todas as análises e estatísticas do estado de Santa Catarina foram feitas com base nos dados das unidades produtoras de manufaturas têxteis e artigos confeccionados com no mínimo cinco empregados, em 1º de janeiro de 2014, divulgados pela RAIS e exclusivamente para o conjunto de códigos da CNAE relacionados no item três das considerações preliminares deste estudo.

 

127_img_2129

Mais informações:
Presse Comunicação Empresarial – Assessoria de Imprensa
Blumenau – Santa Catarina
(47) 3041-2990 ou 3035-5482 | www.presse.inf.br

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Presse - Todos os Direitos Reservados

Desenvolvido por: